Era uma noite de verão...
E ela só queria sair da cidade sem se despedir de ninguém, mesmo ela tendo sido tão feliz ali.
E se ela continuasse tentando empurrar a vida pra frente vivendo lá, se perguntaria quantas vezes ao dia olharia pela janela, esperando ele chegar pela porta da frente daquela livraria velha, que tinha cheiro de verniz fresco... Trazendo consigo suas flores preferidas, suas tulipas delicadas... Com aqueles mesmos olhos verdes, e aquele mesmo cabelo desajustado... Se perguntaria, quantas vezes tomaria vinho se lembrando daquele sorriso meio sem rumo que ele dava, sempre que ela o olhava?
-Era um noite de verão, cujo qual ela pedia que acabasse logo e com a noite fosse embora também sua agônia, sua tristeza.
Ela fugiu, Correu, gritou no meio da passarela... Querendo dizer que o amava, e que sempre o amaria.
    Carregava  no bolso esquerdo da calça jeans preferida, a única foto que eles tiveram tempo de tirar, o anel de noivado e suas últimas  esperanças, sim, ela levara também suas últimas  esperanças dentro do bolso... Ela sabia que veria ele outra vez, sabia também que isso podia demorar... Mas que diferença fazia? Ela já havia esperado ele a vida toda.

2 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.