Lá no fundo...

Nós nos afastamos um do outro como em passe de mágica.
Ele era um Garanhão. Eu, a dama da noite.
Eu era vento. Ele só dava conta de ser abafado.
Eu tava sempre cansada pra ele. E ele sempre cansado de mim.
Era lados opostos da mesma moeda. Mais fomos verão juntos no passado.
Eu não sei onde eu perdi ele. Ele não sabe como se perdeu de sí mesmo.
E o que poderiamos fazer agora?
Tentarmos ser onda e mar de novo?
Juntos no mesmo aclive?
Acho que não!
Mais cada um segue pra onde lhe convém. 
Pra que tentar? Se nem ao menos me restou brilho no olhar!

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.