Perdida no escuro, chamando seu nome, Perdida.
Ouvindo música dos anos 60, e dançando como se a noite nunca fosse acabar.
E então eu tive que dançar a última música deitada sobre seu ombro aquecedor. E tive medo de não poder me despedir.
Por que a qualquer momento eu veria seus olhos brilharem ao soltar minhas mãos com dificuldade.
Mais já era tarde demais. Eu já estava completamente  apaixonada por você.

2 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.